Cartas, como te quero.

Ah, cartas, antes o único meio de comunicação, hoje algo esquecido, mas para alguns, ainda a melhor maneira de manter laços já inventada. Quem nunca pensou em escrever, ou até escreveu uma carta? Bom, eu espero que ninguém tenha dito que nunca lhe passou pela cabeça essa estonteante ideia. Mas, se tiver respondido que nunca, então eis aí a oportunidade de mudar essa resposta.
No mundo das redes sociais em que vivemos hoje, a proximidade e a cumplicidade são coisas cada vez mais distantes, e as centenas de amigos online não se assemelham em amizade aos poucos reais, porém o que deveria aproximar cada vez mais as pessoas, vem criando uma falsa ideia de “popularidade”, e nos vemos incapazes de viver fora desse mundo virtual, pois o real já não é o suficiente.
Cartas, foram minha salvação. Perdida nesse mundo virtualizado, nunca consegui me encaixar, redes sociais sempre foram um fardo pra mim, e a timidez me impedia de fazer amigos reais também. Me auto excluindo pelo meu jeito de ser, me apeguei aos livros, meus únicos e melhores amigos, que me mostraram uma nova e mágica saída: a escrita.
Até um certo ponto, meus personagens eram o suficiente, mas depois passaram a perder a graça antes mesmo que eu conseguisse terminar a história, e lá estava eu, sozinha de novo. Tentando me adaptar a essa vida na internet, encontrei por acaso, ou destino, um post sobre viagens, mas não aquelas comuns, e sim através de cartas.
De cara vi que ali poderia encontrar uma válvula de escape, encontrar de novo, me eu a muito perdido. Depois de inúmeras pesquisas, consegui alguns emails, pessoas completamente desconhecidas, espalhadas pelo meu país, mas com a mesma vontade que eu: fazer um amigo através da escrita.
30 emails enviados, e 15 cartas manuscritas, e nenhuma resposta, e então a salvação, agora não passava de um sonho absurdo. Até que uma resposta chegou, ah, e como fiquei feliz, respondi de imediato, e antes que percebesse já haviam dez cartas na minha caixa de correio (que fiz meu pai comprar só para garantir a segurança de minhas preciosas cartinhas), agora, cerca de 5 meses depois, mantenho 3 amigos por cartas escritas, amigos improváveis, completamente diferentes, mas com quem abro a mais celada parte do meu interior.
E ainda consegui uma amiga no meio virtual, através de trocas de emails, escritora como eu, apesar de pouco mais de 20 anos de diferença de idade, conversamos sobre muitas coisas, e na verdade, é graças a ela que hoje escrevo, e não só isso, compartilho minhas escritas.
Então, o que são cartas pra mim? Simplesmente vida, quatro pessoas que nunca vi pessoalmente, mas com quem possuo um laço forte, não tão forte como teria sido através das redes sociais, e mais forte que alguns dos laços reais. Um dia espero conhecê-los, pessoalmente, para lhes dizer como me resgataram, me trouxeram de volta para meu mundinho mágico, de histórias encantadas, que me permitem acreditar, que na vida real, sempre haverá um final feliz.

Comentários

  1. que encanto!!! eu fico cada vez mais admirada e feliz em ver o quanto seus mergulhos pelas águas das palavras tem sido profundo... e quantas belezas você ainda encontrará nesse universo tão mágico que nos uniu...

    muito obrigada pelo bom encontro de dois que você se permitiu ter comigo. <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada você por me permitir desfrutar da sua amizade, e por ter me apresentado esse mundo dos blogs. S2 S2

      Excluir
  2. Já me correspondi muito através de cartas, e era uma delícia, na época nem sonhava com internet. E a cada carta recebida era uma euforia sem tamanho, uma alegria imensa por estar construindo amizades com pessoas do outro lado do país. Com certeza é uma experiência muito mais pessoal e envolvente do que nas redes sociais.

    Até mais!!
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só leio, só amo, só vivo cada palavra.

Apenas Nuvens

Uma breve história de tudo