Uma história de amizade e música


Te faz rir, e te dá vontade de chorar, você olha a vida de um jeito que nunca parou para olhar: através da música. É assim, com essa frase, que eu consigo resumir o filme “Mesmo se nada der certo” de John Carney. Em certos momentos você se sente até parte do filme, como um amigo dos personagens. Não sou nenhuma cinéfila especialista, tudo que sei sobre os filmes é como me sinto quando assisto. E como senti quando assisti esse: Posso dizer que o filme é bom, do meu ponto de vista, quase perfeito.
Dan Mulligan (Mark Rufallo) e Gretta James (Keira Knightley) são completos desconhecidos, com apenas uma coisa em comum, a música é basicamente o que fez suas vidas estarem como estão: um mar de problemas para Dan, e tristeza e decepção para Gretta.
Logo de início vemos que Dan vive da música, um dia um produtor de sucesso, e no outro um bêbado que acaba de ser demitido da gravadora que ele próprio criou. Afogado em suas amarguras, e em álcool também, Dan é separado da esposa e tem uma filha, com quem não se dá tão bem assim. E nessa vibe de azar que Dan se vê em um bar qualquer, ouvindo uma simples garota cantar, e ali ele vê a magia, uma oportunidade de ser quem era, onde todos veem apenas uma garota com uma voz comum e um violão, ele vê um belo caminho rumo ao sucesso.
Mas esses são só os primeiros 10 minutos de filme, nos 95 minutos restantes muita coisa acontece, e como em qualquer amizade, eles brigam, eles se ajudam e principalmente, há uma sinceridade ali, uma sinceridade que fortalece cada vez mais aquela amizade, regada a muita música e sorrisos.
E resumindo, a mensagem que acredito que o filme queira passar, é que mesmo em meio aos problemas da vida, a correria do dia a dia, em meio ao caos da cidade, ainda sim podemos ouvir a nossa própria música, sermos nós mesmos, sem se importar com os outros, e que tudo isso, fica mais fácil se tivermos um bom amigo, que não precisa ser o melhor ou ser perfeito, só precisa ser aquele alguém que estará ali quando você precisar, na melhor música ou na pior decepção.

Comentários

  1. sou apaixonada por esse filme!!... e foi também o meu primeiro filho-texto! =)

    ResponderExcluir
  2. Gostei da dica, ainda não assisti, mas como gosto do Mark Rufallo nas telinhas, já anotei a sugestão.
    Até mais!!
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Só leio, só amo, só vivo cada palavra.

Apenas Nuvens

Uma breve história de tudo