Uma breve história de tudo

Confesso que não tenho nenhum interesse em física ou qualquer coisa do tipo, mas assistir "A teoria de tudo" me deixou curiosa em ler "Uma breve história do tempo", mas não é sobre o livro que vim falar, não dessa vez, vim falar sobre o filme, que assim como qualquer filme com uma história de superação me deixou emocionada, embora não o suficiente para me arrancar lágrimas.
Devo dizer que coloquei muita expectativa no filme, e esperava algo muito maior em torno da história, já que me falaram mil maravilhas sobre ele. Bom, James Marsh, o diretor do filme, não me decepcionou, mas também não me impressionou muito na produção do filme.
Enfim, ele relata com muitos detalhes a vida de Stephen Hawkings (Eddie Redmayne) e da sua teoria que revolucionou o mundo da física - como teve início o tempo, que ele conseguiu encontrar apesar de todos os obstáculos causados pela sua distrofia neuromuscular que afetou completamente sua vida aos 21 anos.
Felizmente a doença não afeta o cérebro,  e a mente brilhante de Stephen aproveitou o momento para crescer como talvez não tivesse sido possível se a perspectiva de apenas 2 anos de vida não lhe tivesse sido imposta. Não querendo dizer que a doença lhe proporcionou esse avanço intelectual, talvez sem ela, Stephen tivesse sido ainda melhor do que foi, mas isso nunca saberemos.
Quanto a Jane (Felicity Jones), a sua esposa, não se foi o filme que me passou essa ideia, mas parece que o amor dela não era tão grande quanto ela dizia ser, porque, apesar de três filhos e muita disposição para cuidar dele, a vontade de ter uma família “normal” foi grande o suficiente para que ela trocasse Stephen por Jonathan (Charlie Cox).
Mas quanto ao drama familiar eu não tenho do que reclamar, já que boa parte do filme é só isso que mostra, sem quase dar ênfase ao quanto ele se superou nas expectativas médicas, e mostrando bem pouco também sobre sua teoria revolucionária. Mas, no geral, o filme é bom, e atuação de Eddie Redmayne maravilhosa, não deve ser fácil fazer um papel como esse. Eu gostei, e minha irmã que compartilhou comigo a experiência de assisti-lo também gostou, e concordamos que valeu cada um dos 123 minutos de filme, foram ótimos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Só leio, só amo, só vivo cada palavra.

Apenas Nuvens